quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Imagem

Então... De vez em quando... Termo que aqui significa, quando me convir, postarei uma foto. Não concordo muito com a frase que diz que uma imagem vale mais que mil palavras, pois de palavras sou feita. Porém de tempos em tempos, não fará mal.








terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Na praça

Ele observava a paisagem, perdido em seus pensamentos, distante.
Ela o observava, deixando-se levar pelo seu cheiro, e por cada simples movimento que partia dele.


"Quando te vejo assim..." ela começou e parece tê-lo despertado de um sono. "Tenho medo de falar com você."


"Por que?" ele pergunta sem entender.


"Ora, nunca se sabe quando se está sendo inconveniente..."


"Então por que você está falando comigo agora?"


"Porque toda vez que isso me vem a cabeça, recordo de que não me importo com essas coisas."


Ele solta uma tímida risada ainda olhando para a paisagem.


"Qual a graça?" ela quer saber.


" Nada. Só fiquei feliz."


"Como assim?"


"Por você ter falado comigo. Eu só não fiz isso porque estava sem coragem."


"Ah..."


E mais nada precisa ser dito.




domingo, 11 de dezembro de 2011

E mais uma vez...

Só aqueles que já foram acometidos por uma paixão sabem o que é jurar nunca mais cair nos truques do coração novamente. Só aqueles que já foram feridos por esse sentimento sabem o que é senti-lo novamente, restaurando tudo, criando um sentindo novo para continuar. É sempre assim, quando nos vemos livres, percebemos que a vida não faz sentido sem o amor, e a única coisa que verdadeiramente nos prendia era nosso medo de nos entregarmos a ele por completo.



E dessa vez, esperamos somente que seja aceito.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O que te impede?


Tem momentos em nos sentimos incapazes de fazer o mínimo movimento.
Tem dias que por mais que esteja sol, sentimos o frio de uma tempestade.
Às vezes simplesmente nos sentimos presos.
Sentimos que não conseguiremos obedecer o mais insano e sábio guia, o coração.
Mas o que nos prende? 
Nós mesmos.
Mas por que faríamos isso?
Por medo.
Colocamos em nossa volta uma cúpula, tentativa frustrada de evitar o sofrimento.
Há uma coisa que aprendi vivendo aqui, "do lado de fora"...
Não importa o quanto eu sofra, sempre será melhor do que estar lá dentro.
Lá não posso ser quem sou, lá sou atração, peça de estudo.
Aqui, torno-me o que quiser, com um pouco de fé, paciência e a magia encontrada nos sorrisos, nos abraços e em cada simples gesto que faço ou recebo.
Esse é um fato tão bobo que muitos esquecem seu poder e veracidade.
Saia da sua cúpula. Deixe o vento bater em seu rosto e deixe-se impregnar pelo prazer de ser livre.
Uma vez fora, você entenderá que vale a pena lutar e seguir em frente.


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Estagnação

Trilhava um caminho incerto, com o receio sempre presente, às vezes olhava para trás, mas mesmo assim, seguia indo.

As luzes se apagaram, espera, havia mesmo alguma luz? Ou era tudo ilusão? Parei. Não sei o que fazer. Estava confusa e até com medo, só que progredia de certa forma. Agora nem as palavras são as mesmas. Só essas poucas ideias fluem de mim. 

Sim, de mim. Tentei uma vez escrever algo que não fosse pessoal, mas sempre falhava, todas as palavras que escrevi são partes vitais da pessoa que sou, brotam de mim como uma planta brota do chão e estarão sempre em mim enraizadas. Talvez sejam elas que me prendam, ou talvez eu só esteja delirando e nada realmente me prenda além do medo de tentar. Não posso jamais colocar a culpa nessas palavras que agora expressam o que eu não consegui falar. Pois simplesmente sou incapaz de abandona-las. Sem minhas palavras, não sou nada. Deixo de ser árvore, torno-me uma mera folha ao vento... sem rumo.

Ah... Sinto nesse momento que não estou sozinha. Pode parecer egoísmo e até besteira, mas por hora me bastam a doce e sutil companhia das palavras que escrevo.




quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Nada é orgânico, é tudo programado

... e eu achando que você tinha me libertado.


Porém...
Cada vez mais me sentia preso em relação a você.
Cada vez mais sentia aquele nó peito.


Resolvi ver o que estava acontecendo. Quão surpreso fiquei quando vi que meu peito estava vazio. Não havia nada lá. Todas as minhas ações eram automáticas, esperando apenas mais um sinal seu. Saí em busca de ajuda. O Mágico de Oz talvez pudesse devolver meu coração. "Devolver meu coração"... Pela primeira vez em toda minha existência senti-me como um robô. Um objeto, uma marionete da vontade alheia. Nada eu fazia para mudar tal fato, seguia fazendo as coisas na esperança de que você notasse, de que você comentasse, e isso se tornou um vício tão profundo em mim, que minhas engrenagens acostumaram-se apenas com aqueles movimentos, e quando finalmente fui tentar altera-los, deu errado... quebrei.





Todos sabem o que acontece no final da história. O mágico não era mágico. E agora? Como voltar para casa e criar coragem para aceitar minha falta de humanidade? O que fazer com esse vazio? Continuarei para sempre esse robô? Continuarei submisso ao desejo de simplesmente ter você? A verdade é que esse sentimento morre um pouco a cada dia dentro de mim, devido à falta de manutenção. E agora sou homem-lata. Aos poucos recupero a mim mesmo. Agora sei que nunca estive vazio, pois a mágica estava o tempo todo dentro de mim.


domingo, 30 de outubro de 2011

'O' / =) / '-' / =( / s2 / ???

Duas crianças me perguntaram de que eu tinha medo.


" Eu tenho medo de abelhas." - uma disse.


" Eu tenho medo de borboletas." - a outra respondeu.


" E você? " - retrucaram juntas.


Disse que tinha medo de altura. Elas concordaram e fizeram aquele som que as crianças fazem, em sinal de respeito e admiração a um "adulto", algo do tipo "oooohhh".

Eu menti.

Tenho medo na verdade da indiferença.
Tenho medo da solidão.

Tenho medo que me ignorem por algo que fiz, ou até mesmo por algo que eu não fiz, e que aos poucos me abandonem até que minha existência não passasse de um borrão no fundo de sua xícara de chá.

Não pense que menti porque pensei que as crianças não entenderiam tal fato. A minha opinião é que elas entenderiam melhor de que muitos adultos. Não contei por medo. 

Tenho medo de contar.
Tenho medo de assumir.

Encarar o que está prestes a acontecer ou me preparar para o que possa vir a se passar comigo. Ah como tenho medo disso, ah como às vezes acho que não vou conseguir.

Mas eu consegui me manter aqui. Então é por isso que só às vezes acho que não vou conseguir, e sempre tenho certeza de que estou conseguindo. O gerúndio nesse caso é inevitável, pois essa ação não está concluída. Enquanto digito estas palavras, vou construindo um pouquinho mais de resistência para cada vez mais conseguir. 

Conseguir tudo que almejo. Coisas simples se fossemos listar, mas difíceis de encontrar exemplares verdadeiros, tamanha a quantidade de falsificadores.
Coisas como:
Paz, Amor, Alegria, Amizade, Sinceridade, Companheirismo, Romance, Lealdade, Solidariedade.

           E se hoje sou no mínimo bem feliz, é porque já consegui um bocado dessas coisas.
Mas da sempre para melhorar, né? Afinal, o ser humano nunca vai estar satisfeito com o que tem, e acredite se quiser, eu sou bem humana.







terça-feira, 18 de outubro de 2011

Você







Você já se sentiu...


...como um gatinho assutado?
... um amigo maltratado ou um anjo abandonado?


Você já quis...


... desistir de tudo ao passo que queria mais?
... ser alguém diferente ou ser um super-herói?


Você já passou...


... a noite acordado?
... a noite em claro com medo do escuro ou no escuro com medo da noite?


Você já desejou...


... ser amado?
... ser o escolhido ou escolher?


Você já se expressou hoje? Já disse o que sentia? Agradeceu por mais um dia? 
O tempo é o ouro dos sábios, e de todos aqueles que tem consciência de que o nosso é breve, e valioso, muito valioso.


Não deixe que roubem seu tempo, faça de cada momento uma joia rara em sua vida. 



sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Além do que se espera.

É estranho pensar sobre isso. 
"Isso" que é a resposta de todas as nossas perguntas.
O que vai acontecer depois que todas as perguntas forem respondidas, e que tudo já esteja solucionado? Será que as pessoas perderão a vontade de viver, será que a vida perderá seu brilho por sabermos que não há mais nada a esconder?
O mundo só segue girando porque sempre existirá algo sem resposta ou aparentemente sem solução, a diferença não é o que se faz para ou quando se descobrir tal coisa, e sim o que se faz antes, pois isso definirá a capacidade que cada um terá de agir em seguida.

Não quebre o ciclo.



Há uma conversa lida em um determinado livro, que resumirei para vocês...

Ele - Vá, porque da próxima vez que nos encontrarmos, eu com certeza irei te matar.

Ela - Eu vou... Só para que você continue tendo algo para perseguir.








quarta-feira, 12 de outubro de 2011

" Crescer seria uma grande aventura..."

... mas não farei isso.
Permanecerei eternamente com medo do escuro.
Com aquela vontade de comer a sobremesa antes do jantar.
Com a vontade de tirar as rodinhas da bicicleta de uma vez, mesmo sabendo que irei cair.
Com a simplicidade de brincar de pega pega com os amigos e saber que aquela é a felicidade suprema.
Com o orgulho de se sentir o maior detetive do mundo ao achar os outros no pique-esconde.
Com aquele apego enorme aos eternos companheiros, que tanto pelejou para conseguir, os brinquedos.
Continuarei criança. Não por medo do que virá a seguir, mas sim devido à isso. Para me manter sã. Mergulhar de cabeça no "mundo dos adultos" é a última coisa que quero fazer, pois tenho certeza que esquecerei do mais importante. Sabe o que é? Eu vou dizer...


Ih... Já esqueci. Será que é tarde demais para mim? Será que já cresci demais?

Ufa, lembrei. Quer saber o que é? Pois não vou te contar! Infantil, eu? Poxa vida, muito obrigada.

Feliz dia da criança para você que ainda se lembra que no fundo no fundo somos todos pequenos príncipes e princesas no caminho de volta para nossa estrela.


" Todas as pessoas grandes foram crianças um dia, mas poucas se lembram disso. "


sábado, 8 de outubro de 2011

Sufoco

Pergunte a alguém: "de que você quer morrer?" e a resposta será "que ideia, não quero morrer!" ou "de uma forma não dolorosa." Bem... No meu caso, eu gostaria muito de morrer COM, DE e POR amor.
COM aquele amor arrebatador que deu todo sentido a minha vida e sempre me guiou.
DE amor, pois ele é o sentimento mais belo do mundo e não somos seres completos sem ele.
POR amor, porque foi ele que me mostrou que toda essa bagunça chamada de vida valeu a pena.

Mas, me sinto sufocada, o amor faz isso às vezes, sabe? Ansiedade acelera meu coração. Olho para os lados, fecho os olhos, sonho, acordo e durmo de novo, entro na internet, caminho, ouço música, tudo... Pensando em você. Esse amor capaz de matar, mas se bem usado capaz de curar. Só que não depende de mim. Quem já passou por isso sabe. Não adianta eu querer sozinha, temos que querer juntos. Eu escrevo, e cada ínfima partícula de texto está carregada desse amor que sinto por você. Só que não sei onde você está, não posso adivinhar o que pensa nem o quer fazer. Queria te apoiar mais, queria te ter só para mim, perto de mim, mas nada disso é possível agora. É por isso que eu espero. Estou esperando você. Mesmo sabendo que poucos lerão esse texto gostaria que você fosse uma dessas pessoas, para mim é o suficiente, pois estas palavras são suas, são partes de mim, que abdico e te dou. De vez em quando eu desanimo, acho que nada mais vale a pena, mas não posso desistir agora que eu te encontrei, por isso não demora muito viu? Te amo.








segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Matemática

Qual a probabilidade...

De sermos felizes?
De sermos amados?
De sermos escolhidos?
De sermos sorteados?
De sermos pais?
De sermos mães?
De sermos um casal?
De sermos nós mesmos?
Das guerras acabarem?
Da fome ser morta?
Do medo se extinguir?
Da natureza sobreviver?
De você e eu...?
De passar de ano?
Das flores vencerem o canhão?
Da gente mandar no próprio destino?
Da roda da vida girar ao nosso favor?
De aprendermos a somar e dividir e não diminuir?
Do mundo acabar?
Da paciência durar?
Da amizade perdurar?
Do político cooperar?
Dos viciados se curarem?
Das drogas acabarem?
Dos hippies voltarem?
Do respeito ser valorizado?
Do amor despertar nos corações das pessoas?
De finalmente aprendermos a viver em sociedade?

R: X não existe em R.   S= { }   Sistema Impossível.


Mesmo não podendo responder assim na prova, por mais que a matemática seja uma ciência EXATA, jamais terá a resposta para essas questões. Pois elas estão dentro de cada um de nós. E no que fazemos a cada dia para nos tornarmos pessoas melhores.


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Para os que têm sua cabeça pousada em seu colo...

A gente percebe que não sabe sobre o que escrever quando decide falar sobre o tempo.




Que fenômeno mais inconstante existe além do tempo? Ele prega a incerteza de que tudo pode mudar, que suas meias ficarão encharcadas ou que seu casaco não será necessário. Mas esse é um tempo... Há O Tempo. E a ele devemos muito respeito. O Tempo cuida de nossas feridas, pousa nossa cabeça em seu colo, e quando seu trabalho está finalizado, mal percebemos que estamos curados de um sentimento sofrido ou de uma saudade não correspondida. Ainda assim, são poucos que o valorizam, mesmo sendo muitos que dele necessitam. Claro que é muito mais complicado aceitar que só com O Tempo as coisas vão se acertar em um tempo chuvoso e melancólico como o de agora. Por isso mesmo contradizendo os ensinamentos do mestre, acho necessário ainda haver alguém disposto a escrever sobre o assunto.

" Aqueles que conversam sobre se vai chover ou não, não poderão ir para o céu; lá faz sempre bom tempo."
                                                                                                                                   Mario Quintana

terça-feira, 6 de setembro de 2011

"Eu sei como é isso"

Ela procura a coragem para falar, mas não encontra.
Ele? Puf! Quem disse que desconfia?
Ela então coloca no papel aqueles simples porém sinceros sentimentos.
Resposta negativa.
"Eu sei como é isso." é o que ele diz.
Na verdade ele não sabe. Por mais que já tenha passado pela mesma situação, ele jamais entenderá o que ela sente. O sofrimento dele jamais será maior do que o dela.
Mas... Fazer o que, ela nada diz, apenas concorda com a cabeça e continua a escrever. Sempre a escrever, pois isso é algo que ela conquistou e que ninguém pode lhe negar ou roubar.
Ela seguirá em frente e o sorriso surgirá, mesmo que demore um pouco. 
E a pessoa certa surgirá.


Mesmo que demore um pouco.

domingo, 4 de setembro de 2011

Aqueles que te fazem rir



Não precisa ser um pierrô para fazer brotar no rosto de alguém um sorriso. Não é necessário sorrir a toda hora, as pessoas vão entender se você ficar triste, vão entender se você chorar, basta ser verdadeiro. Esconder-se não é a resposta. A mentira e a omissão não são o caminho. Tire sua máscara, ficará tudo bem. 

Mas para que isso aconteça, pare e pense: quantas pessoas já te fizeram rir? Você retribuiu? E quanto aquelas que enxugaram suas lágrimas e te devolveram a força para continuar? Espero que não as tenha abandonado. Se eu falei tarde demais, sempre haverá tempo para recomeçar. 
Então vamos, passo a passo, para um mundo de sorrisos verdadeiros no qual a profissão de pierrô não é mais necessária, em que o simples fato de estar vivo e com as pessoas que ama já é motivo para alegrias e boas gargalhadas.



terça-feira, 23 de agosto de 2011

O Retorno

A folha em branco
revela o descontentamento
de não poder te ter em mãos.
Sua presença, seu amor,
nada mais que sonhos vãos.

O ressentimento por não falar
e a vontade de querer tentar
Me atormentam e me tiram a concentração
Queria poder solucionar esse problema
Acreditar que não é ilusão.

Deixar em branco é mais cômodo
do que com palavras preencher.
É a mesma coisa que tentar
reanimar alguém
que já decidiu que irá morrer.

Não escrever é mais simples
que colocar tudo no papel.
Mas o vazio das linhas
passa para o meu coração
Lamentos vêm do céu.

Teimosa sigo sem nada criar.
Até agora.
Essa é a minha participação
Esse poema que é fruto
Desta grande contradição.


sábado, 20 de agosto de 2011

Planos

Isso acontece sempre. Não importa em que situação. Quando planejamos muito algo, o destino logo arruma um jeito de bagunçar a coisa toda. Não que ele ache divertido, mas porque certas coisas simplesmente não estão maduras o suficiente para florescer. Então por mais que você planeje, de nada vai adiantar. Por mais ansioso que você fique, o tempo não vai encurtar. Respire fundo, siga em frente, e quando menos você esperar aquilo que tanto almeja virá até você simplesmente, sem juros ou correção monetária. Virá finalmente, não porque o destino cansou de brincar, mas sim porque você será merecedor. Isso acontece sempre.

Queremos você!


Queremos você para ser honesto.
Queremos você para praticar o bem.
Queremos você para amar as pessoas ao seu redor.
Queremos você para proteger a natureza
Queremos você para não invejar o outro.
Queremos você para parar de nos roubar.
Queremos você para ser você mesmo.
Mas acima de tudo, queremos que você entenda que o mundo só vai para frente quando você se curar dessa doença chamada ambição.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Cegueira

Hoje eu abri o blog e decidi que escreveria sobre um tema que habitava minha mente.
Mas então percebi que desconheço  tantas coisas, que não me sinto mais à vontade para falar.
Quero dizer, há tanto para ser visto, mas nós não damos valor. Somos o pior tipo de cegos. Os que não fazem proveito da dádiva de enxergar. Somos os que veem e não se mobilizam. Se continuarmos assim, estaremos para sempre perdidos nesse universo paralelo criado pela nossa cegueira e nunca encontraremos o caminho para a realidade.
A vida real está cheia de falhas, mas cabe a nós encara-las, para um dia merecer essas duas janelas que dão para a alma.

José Saramago. - (Poucos entenderão a sutileza)

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O Romantismo não é romântico

" Amor é fogo que arde sem ver, é ferida que dói e não se sente."


Eu sinto. E muito. Tudo o que o amor me proporciona, eu sinto. Primeiro aquele primeiro encontro, a primeira troca de olhares, o sentimento brotando. Depois toda a ansiedade para ver aquela pessoa, para simplesmente voltar a respirar o mesmo ar que ela. Aí a dúvida. Serei correspondida? Em seguida o medo, a aflição, o ciúme, a angústia... Então das duas uma: felicidade suprema ou suprema depressão. Alguns acham que o preço a ser pago é muito caro para arriscar.

Mas o que eu quero dizer é: você sente. Tudo. Mesmo quando é correspondido, mas esse é um caso de êxtase profundo. O que me intriga contudo, é o Romantismo, algo que eu almejava muito estudar. Partiu meu coração. De que adiantam sentimentos tão profundos se eles não são correspondidos? Se eles não se tocam? Se no final de tudo ela morre?

Posso escrever de tudo um pouco, mas nunca, jamais, escreverei algo Romântico.
Tudo que vier de mim sempre foi e sempre será romântico. E só alguns entendem o valor da letra minúscula desta palavra.

Decidam vocês também. Pois o amor é algo que tem que ser feito, como um certo Mario disse: "baixinho".

" Se tu me amas, ama-me baixinho.
Não o grites por cima dos telhados.
Deixa em paz os passarinhos, deixa em paz a mim.
Se me queres enfim, terá de ser bem devagarinho,
Amada, pois a vida é breve
e o amor mais breve ainda."

Mario Quintana

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Disseminação


Antigamente, a comunicação era limitada. Primeiro cartas, depois surgiu o telefone e que revolução esse estranho aparelho causou. Internet. Quem imaginaria que chegaríamos ao ponto de que uma informação se tornar obsoleta cinco minutos depois de ser divulgada. As pessoas debocham e falam "ué você não sabia?". Mas a pergunta correta é: Eu tenho realmente a obrigação de saber?

Afinal essa informação é processada antes de sair quentinha do forno, processada por quem eu não sei, e não posso confiar em todos, não quero e não vou sofrer uma lavagem cerebral, prefiro me afastar das massas, pois essas podem vir a se tornar uma turba enfurecida.

Mas como a escapatória é quase nula, que esses meios de comunicação disseminem coisas boas. 
Sonho com o dia em que mostrarão a manchete :

>>> Cartas são escritas cada vez mais <<<

Puro sonho, mentira. Assim como:

>>> Internautas analisam as informações que recebem cautelosamente antes de concordar ou não com as mesmas <<<

Ha.

Porém, esperança é um item que tenho de sobra para gastar com desejos como esse que são para a pessoa que aqui escreve tão importantes.



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Cazuza estava certo...

O tempo não pára.
Quando vemos já é hora de partir.


Então cabe a nós fazer cada momento valer a pena.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

A arte de ser

Andei pensando nisso. Naquelas palavras que te definem. Nas expressões que dão suas características...
Temos o direito de construir nossa personalidade, e ele nos é dado porque somos únicos no mundo e assim devemos permanecer. Tudo que faz parte de nós e que por nós é construído é uma obra de arte. Somos artistas na vida. 


"Foi o tempo que dedicaste a tua rosa
que fez tua rosa tão importante."
Dominamos a arte. 

Arte de ser pai
                     mãe
                    filha
                    filho
                    primo
                   escritor
                   surfista    
                  professor
                    otaku
                   gótico
                    amigo
                namorada
                        .
                        .
                        .
                        .




A arte de ser humano.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Máscara Feliz

Criação magnífica essa. Quer saber como funciona? Ah... Mas você já sabe. Todos os seres humanos alguma vez em algum ínfimo momento que seja de sua existência já utilizaram uma Máscara Feliz.

Aquela que se coloca sobre a face quando não queremos mostrar o que se passa dentro de nós, quando não queremos que notem nossas humildes lágrimas. Ou talvez seja o contrário. Quando perguntam "tudo bem?" respondemos "sim" só por comodidade. Quem se importa realmente não precisa perguntar. E como seria bom que alguém notasse. 

Infelizmente o mundo é constituído de mais pessoas que não se importam. Então, cada vez mais nos fechamos em nós mesmos, nos escondemos atrás dessa máscara. 

Ao mesmo tempo que tentamos camuflar nossas fraquezas, queremos que alguém as descubra para nos libertar. Só que o que não entendemos ainda é que a chave das correntes está em nossas próprias mãos.

sábado, 25 de junho de 2011

O olhar

Às vezes o que falamos
não é de todo verdade.
Em um olhar há
muito mais sinceridade.

Pode até ser constrangedor
quando o olhar revela
a intensidade do nosso amor.

Pode até ser cruel
quando não queremos fraquejar
e o olhar revela
a dor e o pesar.

O olhar é a janela da alma,
mostra se uma pessoa 
está triste, feliz ou calma.

Há aqueles que escondem 
seu verdadeiro olhar
por vergonha ou por medo.
Para mim o olhar das pessoas 
ainda é um grande segredo.


segunda-feira, 20 de junho de 2011

Missão


Sinto.
Caminho.
Observo.
O que fazer? O que todos devemos fazer? Desde o início, as pessoas se perguntam o que fazer, para onde ir... Elas pensam que somente os grandes atos serão reconhecidos, do que adianta então meu papel secundário? É muito importante, mais do que todos pensam. Então não vale a pena desanimar e jogar tudo fora por causa de um erro. Não vale a pena abaixar a cabeça na primeira tentativa frustrada. Pois só o fato de nos mostrarmos persistentes faz a diferença.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Dói em mim também

Se tem uma arte que o ser humano domina bem, é a de machucar os outros. Tanto física quanto psicologicamente falando.


Quando vamos todos perceber que é muito mais fácil dar as mãos, que cerrá-las para atingir o próximo é errado. Ah... Quem me dera se as coisas fossem mais simples, quem me dera se as pessoas não fossem movidas à dinheiro e poder. Só quero ver aonde tudo isso vai parar. Ninguém mais caminha junto para não cair, e sim um tenta empurrar o outro desse frágil, porém valioso pedaço de terra.

domingo, 5 de junho de 2011

Talvez um dia

Por que talvez?
Onde está a certeza?
Por que "um dia"?
Já tentou o agora?
Onde estão as pessoas que vão fazer a diferença? 
Sou eu?
Só eu?
Ajuda!
Porque desse jeito, só um dia talvez as coisas vão melhorar. 
Se não for agora, nada irá durar.
Sei que temos medos e dúvidas.
Mas é preciso tentar.



terça-feira, 31 de maio de 2011

Minha mãe



Quando eu era pequena, ficava me perguntando como seria minha mãe quando chorava. Até hoje são poucas as vezes que a vi chorando, posso até contar nos dedos. Uma das vezes, ela tentou fingir que não estava chorando, com aquela famosa frase que os pais usam quando não sabem o que dizer; "Não foi nada.". Se não foi nada, por que as lágrimas? Infelizmente eu era criança demais para retrucar.

Hoje eu vi minha mãe chorar e nós invertemos os papéis. Eu me senti mãe da pessoa que me colocou no mundo, pois eu a abracei e coloquei sua cabeça sobre meu peito do mesmo modo ela fazia quando eu era menor. Foi aí que tudo ficou claro e eu percebi o quanto eu preciso dessa pessoa, e o quanto doía vê-la chorar. Mas o que mais me irritou foi perceber que nada podia eu fazer para ajuda-la além de dizer que as coisas iam melhorar. 

E por mais que ela chore, nunca vou me acostumar com essa ideia, como sei que sempre que eu chorar terei seu colo para me consolar, mesmo depois que ela se distancie, as lembranças boas me animarão. Por isso, não deixe de abraçar sua mãe mesmo que ela tenha brigado com você por causa das notas ruins, ou algo mais sério. Ela o faz por amor, afinal o pior castigo que se pode ter é a indiferença. 


Evite lágrimas, crie sorrisos.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Freedom

Estou livre! E liberdade tem gosto de realidade.




Você se solta de tudo o que é falso e sente que pode voar com um simples sonho, um simples fechar de olhos.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Eu! Não, eu!

E quando a verdade é tão cruel que quando dita na sua cara fica difícil de aceitar? Perde-se a razão, dedos apontam, mãos gesticulam brutalmente, bocas berram, cabeça não pensa, coração com medo.


Afinal, em uma discussão existe o lado certo e o errado? Para mim isso significa a mesma coisa que perguntar se em uma guerra existem heróis e vilões. A resposta é a mesma para ambas: não. O herói que te salvou matou outras mil pessoas ditas "inimigas" por causa de uma ideologia talvez, ou dinheiro. O seu vilão pode ser o cara bom para um outro alguém, assim como o que você pensa pode ser considerado um absurdo por alguns e um tanto plausível para outros. Discussões e até mesmo brigas começam porque a outra pessoa simplesmente não concorda com você e isso é óbvio. Discussões são saudáveis, não seria chato ter um mundo inteiro com seres conformados todos pensando a mesma coisa? Devemos questionar sempre. Mas quando entra no campo pessoal já é outra história, é complicadíssimo e nesse aspecto, quando não é comigo, sou passiva, não me envolvo, apesar de sempre ter uma opinião. Infelizmente esse tipo de coisa acontece. Certas brigas poderiam ser resolvidas se ambos os lados estivessem dispostos a sentar e conversar com calma, mas não é assim que funciona atualmente, ganha o mais forte ou o mais esperto. Desse jeito as guerras nunca terão fim e as pessoas nunca vão saber o real significado da frase "eu entendo você".


" Posso não concordar com um só palavra que dizes, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las."
                                                                                                                        Voltaire